sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Piegas


Das coisas mais simples e belas da terra,
é para o teu rosto que presto-me a olhar.

E de todas os sons e poemas das águas,
é a tua voz que faz-se pra mim,
a melodia que inspira minhas canções.

De todas as libidos que incitam o pecado,
teu cheiro é que embriaga-me todos os sentidos
fazendo-me, oras fora de mim, simplesmente
olhar teu corpo e pensar em como satisfazer-te.

E todas as rimas que aprendi a cantar,
falham ao tentar descrever com precisão,
a perfeição da tua forma assimétrica.

Confunde-me a razão o brilho dos teus olhos,
que fazem-me olhar para dentro de mim mesmo,
toda vez que tento desvendar-te um pouco mais.

Talvez por isso eu apegue-me,
à todas as coisas da imaginação...
a tudo que faz-se abstrato e ininteligível,
para entender como causas em mim
tamanho fascínio e admiração.


Hugo Roberto Bher

5 comentários:

  1. Nossa... surpreendente, lindo, apaixonante.
    Dá pra entender porq a minha tia fala tanto dos seus textos, seu trabalho... de vc. Parabéns.

    Lanna.

    ResponderExcluir
  2. Só aumenta minha admiração por ti.

    ResponderExcluir
  3. muito lindo !'
    na verdade muito intenso !"

    ResponderExcluir