quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Coisas de Poeta III

Eu sempre quis amar assim,
com o coração apertado...
sentindo-me também amado...
correndo para beijos apaixonados

mas penso que não posso sentir,
maldito seja quem fez-me assim...
não sei se um dia amarei,
tal como dizes que amas a mim.

Também não posso saber, nem medir,
o tamanho do que dizes que sentes
pois aprendi a verdade tão cedo,
que mesmo sem falar as pessoas mentem

Eu sempre quis um amor assim,
com suas metáforas exageradas
tal como falam os poetas
em seus poemas, com pieguisse demasiada

Eu sempre quis amar assim,
para os mesmos olhos, todos os dias olhar,
descobrir os defeitos da pessoa amada,
e mesmo assim nunca deixar de amar

Eu sempre quis me sentir assim
quando dizem que amores não se entendem
que amores simplesmente são sentidos
parece que para mim todos mentem...

Eu sempre quis amar assim
mas acho que sou tão quebrado,
como você já deve ter percebido
não conseguirei ser aquele abrigo
mas penso que sou melhor assim!!

5 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Adorável, realmente.
    A gente não escolhe amar, talvez se fosse assim as coisas seriam mais fáceis.
    Mas talvez, as vezes a gente devesse se perguntar se o defeito que mais odiamos nos outros, não é aquele que mais está presente em nós.

    Lindo poema!Espero ler mais textos sempre!
    http://www.ideiasdestrancadas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. muito bom !' é a definição de um amor q todo mundo sonha !"

    ResponderExcluir